Página Inicial» Notícias» Ex-secretário é preso por desvio de R$ 75,8 mil em Iguatemi

Ex-secretário é preso por desvio de R$ 75,8 mil em Iguatemi

alt A Polícia Civil prendeu na sexta-feira, 27 de junho, em Curitiba, estado do Paraná, o ex-secretário municipal e ex-coordenador do Banco da Gente, em Iguatemi, Juarez Gaudêncio de Figueiredo, de 54 anos.

Juarez estava com a prisão preventiva decretada pela Justiça da Comarca de Iguatemi deste abril deste ano (2014), depois de ter sido denunciado pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul, acusado de ter desviado R$ 75.843,50 da instituição pertencente ao Governo de MS que tem por finalidade financiar micros e pequenos empresários em Mato Grosso do Sul.

Segundo a Polícia Civil de Iguatemi, que comandou as investigações, à frente da instituição Juarez teria realizado pelo menos dez operações irregulares.

De acordo com a polícia, o caso veio à tona após denúncias de pessoas que teriam preenchido todos os trâmites para contrair o empréstimo, mas não teriam recebido o dinheiro.

Segundo a Polícia Civil, em outubro do ano passado o então diretor-geral do Banco da Gente em Mato Grosso do Sul, Márcio Laabs, esteve pessoalmente em Iguatemi acompanhado de representante da assessoria jurídica da instituição onde constatou a fraude.

Diante da situação, Juarez de Figueiredo, que já foi secretário de desenvolvimento econômico e meio ambiente e também secretário de habitação na Prefeitura de Iguatemi, foi afastado imediatamente do cargo e o delegado titular de Polícia Civil em Iguatemi na época, Dr. José Eduardo Rocha, instaurou inquérito para apurar o caso.

Segundo a polícia, nos trâmites da investigação Juarez Figueiredo, que está respondendo processo pelo crime de peculato, teria confirmado que de fato praticou o ato fraudulento contra a fazenda estadual e teria se mudado de Iguatemi para a capital paranaense, supostamente para realizar tratamento de saúde.

Diante da situação, o ex-coordenador do Banco do Povo foi denunciado pelo Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul, por meio do promotor titular da Promotoria única da comarca de Iguatemi, Dr. Matheus Macedo Cartapatti e no dia 30 de abril passado teve a prisão preventiva decretada pela Justiça da Comarca local.

Segundo a Polícia Civil, a prisão de Juarez Gaudêncio de Figueiredo na capital paranaense se deu através de um trabalho de troca de informações entre as polícias, civil de Iguatemi e da cidade de Curitiba.

De acordo com o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS), nessa segunda-feira, 30 de junho, a defesa do ex-secretário, que também já foi candidato a vereador em Iguatemi pelo PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) teria entrado com um pedido de liberdade provisória.

Outro fato

Essa não é a primeira vez que Juarez Figueiredo tem seu nome envolvido em ocorrência policial em Iguatemi.

Em agosto de 2007 ele foi vítima de um assalto quando coordenada a Agenfa (Agência Fazendária) local.

Segundo relatos de Juarez à polícia na época, ele chegava sozinho por volta das 7h20 da manhã à sede da Agenfa, que fica a apenas alguns metros da Companhia de Polícia Militar da cidade, quando foi rendido por um indivíduo armado.

O marginal o teria obrigado a abrir o cofre da Agência Fazendária, que é o órgão arrecadador do Governo do Estado em Mato Grosso do Sul e fugido levando uma quantia não revelada em dinheiro. O crime nunca foi elucidado pela Polícia Civil local.

Fonte: A Gazeta News

 
 
CNBB critica decisão do STF sobre terras indígenas
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CN...
 
TRE/MS oferece facilidades para população fazer cadastro eleitoral
Com o fechamento do cadastro eleitoral ocorrendo...

U